Aconteceu. Após quase dois anos de pandemia, um setor devastado e muitas perdas (das mais diversas naturezas), os shows estão voltando ao normal no mundo todo. No Rio de Janeiro, hoje com uma taxa de aproximadamente 60% da população imunizada, o Circo Voador voltou com uma programação bombástica até o fim do ano. A casa ainda terá este ano diversos shows, e Ponto de Equilíbrio e Paralamas do Sucesso serão alguns destes.

No primeiro fim de semana do retorno, Marcelo D2 simplesmente esgotou três dias de shows em poucas horas, sendo eles 21, 22 e 23/10. Os protocolos de segurança exigiam desde máscaras embaixo da lona do Circo – apesar de pouca gente seguir essa orientação – até apresentação de carteira de vacinação da COVID-19.

Uma noite de sobreviventes merece ocasiões especiais. No mesmo dia era comemorado o aniversário de 39 anos do Circo Voador, uma casa especial, vanguardista e referência cultural na cidade do Rio de Janeiro. Maria Juçá, diretora da casa, falou em cima do palco sobre a necessidade de recuperação do setor cultural e sobre a bonita história de resistência do lugar antes dos primeiros acordes: “O Circo Voador foi feito para celebrar o amor e a cultura! É um prazer poder estar voltando”.

Show do Marcelo D2 no Circo Voador em 2021

Tuiki Borges

Com as bençãos de “TAMBOR, O SENHOR DA ALEGRIA”, Marcelo D2 entra no palco e destila músicas do seu último álbum, o ótimo “Assim tocam os MEUS TAMBORES”. “ROMPEU O COURO”, “4ª AS 20H” e “A VERDADE NÃO RIMA” abre o show de forma avassaladora. Momento particularmente especial do show, já que o registro foi escrito na pandemia com forte participação em redes sociais e suas músicas foram apresentadas pela primeira vez ao vivo.

O músico estava acompanhado na voz por Luiza Machado, produtora executiva e seu cônjuge, e seu filho Sain (Stephan Peixoto). O apoio foi muito bem-vindo, já que Marcelo estava rouco, provavelmente após as sucessivas noites de apresentação, mas nada que atrapalhasse a apresentação.

Show do Marcelo D2 no Circo Voador em 2021

Tuiki Borges

A carreira do artista é recheada de trabalhos inventivos e densos, muitas vezes mesclando música com propostas audiovisuais, como é o caso dos álbuns AMAR É PARA OS FORTES e ASSIM TOCAM OS MEUS TAMBORES. Com sua cenografia de palco, o rapper não pensa diferente. Com uma iluminação que varia de forma criativa e alguns elementos que remetem diretamente ao respeito às tradições que D2 canta (como em “RESISTÊNCIA CULTURAL}”: “Falo de coisas simples/falo do meu lugar/Eu falo do meu povo e da cultura popular”), é interessante ver como o artista mostra estar preocupado em apresentar e ambientar sua arte de uma forma total.

Marcelo cava ainda mais sua carreira em músicas como “Eu tenho o Poder”, “A Maldição do Samba” e “A Procura da Batida Perfeita”, essa última de álbum do mesmo nome, lançado em 2003 e que colocou o artista num patamar diferenciado dentro do cenário local e internacional. É também deste álbum “Qual é?”, que encerrou o show sob palmas, ovações e gritos contra Bolsonaro.

Show do Marcelo D2 no Circo Voador em 2021

Tuiki Borges

Aconteceu. Este fim de semana marca o início do resto da vida do Circo Voador, e das nossas vidas. Ter um artista completamente identificado com a casa fez com que a noite fosse mais especial, com o aniversário dela sendo a cereja do bolo. Sobreviventes terão histórias para narrar e corpos para contar, mas tudo isso será mais fácil de atravessar se tivermos ao nosso lado a música.  Vida longa ao Circo e a todo mundo que está aqui e agora.

Show do Marcelo D2 no Circo Voador em 2021

Tuiki Borges

Marcelo D2, Circo Voador
Lapa, Rio de Janeiro, 23 de outubro de 2021.