“Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”

Durante um extenso período de isolamento social devido à emergência em saúde acometida pela COVID-19, a artista concentrou suas apresentações em Lives que geraram repercussões bastante positivas. Ora, a presença inebriante de Gal Costa ocupa o palco do Vivo Rio nesta sexta, 12 de novembro. Gal, chega ao Rio de Janeiro com sua nova turnê “As Várias Pontas de uma Estrela”, antes apresentada em São Paulo no Teatro Bradesco, com direção artística de Marcus Preto. Brilhante espetáculo! Casa cheia. O set reúne diversas canções em homenagem à obra de Milton Nascimento: “Fé Cega”, “Faca Amolada”, “Paula e Bebeto”, “Solar”, “Maria Maria”; Caetano Veloso: “Minha voz, minha vida”, “Dom de iludir”; João Gilberto: “Desafinado”; Tom Jobim: “Estrada do sol”; Chico Buarque: “A história de Lily Braun”. Além disso, os clássicos: “Baby”, “Um dia de domingo”, “Sorte”, “Açai”, “Mãe”. Ainda, “Estrela, Estrela”, “Hotel das estrelas”, “Nua ideia”, “Lua de mel” de Lulu Santos e “Brasil” de Cazuza.

Gal Costa

Cristiano Juruna / Zimel

A gigante da MPB abre o show com uma citação poética e envolve o público com toda sua intensidade que transborda do palco. Ao seu lado, os músicos: Fábio Sá, Victor Cabral e André Lima. Compõem uma atmosfera máxima, que reúne piano, baixo, bateria e violoncelo.

Gal Costa, nos anos 60, fez parte do Tropicalismo; movimento cultural brasileiro que envolveu diversos músicos, como: Maria Bethânia, Caetano Veloso, Tom Zé, Gilberto Gil, Rita Lee e Nara Leão. Por representar uma figura feminina, símbolo de resistência e força, se tornou musa do Tropicalismo em 1968. Na mesma época (1969) em que lançou os clássicos “Baby”, “Divino Maravilhoso”, “Se você pensa”, entre outros.

Hoje, aos 76 anos, com mais de 50 anos de carreira, mais de 60 álbuns lançados, e presença internacional, é uma artista de caráter plural e performático, com uma voz única, divina e maravilhosa, que atravessa o tempo. Interpreta nesta nova turnê, brilhantemente, as canções em homenagem aos grandes nomes da MPB. Com toda sua potência, emociona o público que contempla o espetáculo com alegria e os olhos marejados. Um bálsamo!

Nota: A entrada no evento só foi permitida mediante a apresentação de comprovação de vacina e uso de máscara.

Por Carolina Lopes.

GAL COSTA, Vivo Rio

Rio de Janeiro, 12 de novembro de 2021.