A Zimel orgulhosamente faz parte do time de influenciadores da Groover, apoiando o trabalho de novos artistas e projetos musicais. A Groover é uma plataforma que conecta artistas a influenciadores – como gravadoras, produtores e veículos de mídia – de maneira direta e descomplicada.

Hoje vamos falar sobre cinco artistas que chamaram nossa atenção na plataforma: Max Morin, Dee, Finn, Mcclendon e DELAURENTIS.

 

Max Morin

Da frutífera Seattle, Max Morin é um artista independente que traz um som nostálgico, mas com elementos atuais. A faixa Casting Shadows é um retrato muito sensível do momento da pandemia, lançada mais cedo em 2021. A canção captura o momento pelo viés do cuidado e do afeto na vida em sociedade em um momento tão delicado. O artista, que também tem um EP chamado “Thirty”, atualmente está em turnê nos EUA.

 

Dee

Atendendo pelo nome de Dee, essa jovem artista alemã produz faixas inspiradas nos estilos hyperpop e PC music. No entanto, ela constrói seu trabalho com uma gama muito abrangente de sentimentos, indo da agressividade catártica de “summer is here and i’m still sad” até a melódica e expressiva “I’M ANGRY”. Confira!

 

Finn

O australiano Finn entregou dois discos este ano: “Stonewalling” e “Mayrose”. E estes dois lançamentos mostram um pouco da versatilidade maravilhosa do artista.

Os dois discos trazem uma sonoridade folk rock, mas cada um tem seu estilo único. Stonewalling é completamente inspirado em um elemento mais “velho oeste”, do trovador que canta histórias de caubóis e bandidos no melhor estilo blues estadunidense. Cada letra tem uma história diferente e o álbum todo participa desse conceito, que explora a diversidade de sentimentos humanos. Ouça “Dead or Alive”, single que se inspira em Bonnie & Clide.

Mayrose tem uma alegria e uma leveza totalmente diferente: É um disco mais romântico, voltado pros sentimentos específicos do amor, é mais brilhante e otimista. Enquanto Stonewalling parece refletir sobre o passado, Mayrose olha para o futuro com o coração bem aberto. Confira a faixa “Come and Play”.

 

Mcclendon

O estadunidense Mcclendon não apenas está trabalhando em um projeto incrível em matéria de sonoridade indie, mas também traz visuais maravilhosos. O primeiro clipe, “What I’ve Become”, experimenta um instrumental expansivo e emocionante, um aspecto bastante presente em seu disco homônimo de estreia. Além disso, tem uma fotografia incrível, algo que o artista explora bastante em seu Instagram. Confira o single “What I’ve Become”!

 

DELAURENTIS

A francesa DELAURENTIS tem um trabalho experimental e conceitual de música eletrônica, abordando temas de tecnologia e identidade em seu álbum “Unica” – e os dois estão bem presentes no single “Unica’s Cloud”, que é praticamente um filme de ficção científica em si. Narrativa e som se complementam de uma maneira muito bacana que vale a pena conferir.

 

Se você tem um projeto e quer ajuda para colocá-lo no mundo, mande para nós!